IV JORNADA DE JOVENS PESQUISADORES EM HISTÓRIA E PATRIMÔNIO FERROVIÁRIO

24 Mar 2022 0 comment
A realização do IV Jornada de Jovens Pesquisadores sobre História e Patrimônio Ferroviário com a temática Experimentar, Intervir e Difundir: a ativação do patrimônio como estratégia para um futuro sustentável, no período de 24 a 25 de março de 2022 prossegue o estímulo ao conhecimento nas áreas de história ferroviária e patrimônio ferroviário. O evento é anual e faz parte das atividades de difusão científica do grupo de pesquisa Memória Ferroviária sobre patrimônio industrial e história ferroviária, sediado no Laboratório de Patrimônio Cultural (UNESP) - vide portal eletrônico da UNESP, blog e página no Facebook.

Há mais de 70 anos, a UNESCO era constituída sob ideais humanistas de solidariedade intelectual e comunhão. Estes foram declarados no contexto do pós-guerra e refletiam uma expectativa futura de paz e harmonia entre as nações beligerantes, que deveriam ser materializados pelo Patrimônio Mundial de diversas culturas e de vários tipos - inclusive industrial e do transporte. Contudo, tais ideais parecem incrivelmente distantes nos últimos anos em função da ascensão de posturas extremistas (seja por parte de governos, seja de grupos sociais em diferentes países, inclusive no Brasil). Será que o patrimônio do transporte ainda se mostra eficaz para refletir os ideais de equidade e diversidade cultural?

Ao mesmo tempo, a concepção de um agenda para proporcionar um mundo sustentável (a Agenda 2030 - ODS ONU) visa contemplar os novos desafios do século XXI e aqueles herdados com a instauração do Antropoceno na contemporaneidade: a formação de sistemas globais (industriais e financeiros, de comunicação e produção cultural, científicos e tecnológicos) que vinculam centenas de nações; a industrialização capitalista e as desigualdades socioeconômicas em escala mundial; o impacto ambiental crescente e as mudanças climáticas; e, no último ano e meio, a escalada de uma pandemia que se alastrou por um planeta hiperconectado, expondo também a fragilidade daqueles sistemas globais e ampliando desigualdades. Uma era em que a negação se tornou moeda corrente e a sustentabilidade da vida humana neste planeta está chegando no limite. O impacto humano no ambiente é um dado ecológico, mas também cultural. O deslocamento humano no Antropoceno, com seus aspectos positivos ou negativos, tem seu exemplo no transporte (aéreo, rodoviário e ferroviário). Como transformar essa pegada ecológica e cultural numa forma de vida sustentável?

A Jornada está direcionada para acolher jovens pesquisadores da pós-graduação e graduação que tomaram as ferrovias como tema de pesquisa acadêmica sob perspectivas das diversas áreas científicas. E por meio dele refletir sobre cultura e ambiente; testar projetos ou ações através do patrimônio industrial em vista de um futuro sustentável. Com este intuito, organizamos a IV Jornada de pesquisa como forma de difusão dos resultados científicos e estímulo à pesquisa para todos os pesquisadores de pós-graduação e graduação interessados no tema.

Informações adicionais