GT Emancipações e Pós-abolição

Coordenação Nacional (2021-2023)

Prof. Dr. Amilcar Araújo Pereira - UFRJ
http://lattes.cnpq.br/6346712809070450

Profa. Dra. Maria Cláudia Cardoso Ferreira - UNILAB - Bahia
http://lattes.cnpq.br/7910476403099410

Profa. Dra. Maria Roseane Corrêa Pinto Lima - UFPA - Campus de Bragança
http://lattes.cnpq.br/0040917069487308

Do surgimento

A história das sociedades pós-emancipação no mundo Atlântico tem sido alvo de investigação de diversos pesquisadores nas Américas. No Brasil, as pesquisas no campo foram conduzidas pela Antropologia e a Sociologia até os anos 1980, momento de constituição da nova historiografia da escravidão. O reconhecimento de escravos e descendentes como sujeitos históricos também acabou por influenciar os estudos sobre o pós-abolição. Em  contraponto à tese clássica do “largados à própria sorte”, trabalhos importantes procuraram responder o que aconteceu com a população negra depois de 13 de maio de 1888. Se a década de 1980 representou um marco para historiografia da escravidão, podemos pensar que os anos 2000 foram decisivos para a historiografia do pós-abolição.A publicação de livros, a realização de eventos nacionais e internacionais e a formação de grupos de pesquisa adjetivados pelo termo “pós-abolição”, de Norte a Sul do Brasil, atestam a emergência de um destacado campo de investigação.

Cientes desse rico momento e aproveitando a oportunidade de termos reunidos tantos pesquisadores do campo nos Simpósios Temáticos “Pós-abolição: racialização, memória e trabalho” e “Da escravidão e da liberdade: processos, biografias e experiências da abolição e do pós-emancipação em perspectiva transnacional”, constituímos, durante o XXVII Simpósio Nacional da Anpuh (Natal, 2013), o Grupo de Trabalho Nacional Emancipações e Pós-abolição.

Dos temas e objetivos

O GT objetiva consolidar o pós-abolição como campo de pesquisa relativamente "dissociado dos estudos sobre escravidão, abolicionismo e relações raciais" como afirmaram Flavio Gomes e Petrônio Domingues. Ao mesmo tempo, não se pode entender tal campo sem refletir sobre os processos sociais e políticos que resultaram na abolição e que, portanto, estariam nele incluídos, conforme pondera Maria Helena Machado. Se os processos da abolição no século XIX definem o começo, a memória da escravidão no tempo presente delimita os limites cronológicos da temática a ser abordada dentro do campo, conforme insistem Hebe Mattos e Martha Abreu.

Com base nas experiências dos dois Simpósios Temáticos e no reconhecimento da diversidade de temas circunscritos, elencamos grandes eixos temáticos, subsídios para elaboração de nosso plano de trabalho para os próximos dois anos:

  • O tornar-se livre, os movimentos abolicionistas e o fim da escravidão como horizonte de expectativa.
  • Pós-abolição como problema histórico.
  • O pós-abolição como história política: direitos de cidadania política, civil, social e cultural.
  • Mundos do trabalho e agenciamentos na aquisição e experiências da liberdade
  • Racismo e mobilidade social.
  • Racialização: discursos, teorias e práticas sociais.
  • Politização da memória da escravidão no tempo presente
  • Identidade, alteridade, gênero, gerações
  • Estudos populacionais, migrações, demografia
  • Práticas culturais (festas, religiosidades, artes) e sociabilidades
  • Educação e movimentos sociais negros e indígenas
  • Acesso à terra e etnogêneses  quilombolas e indígenas

Para mais bem articular os dois ST, contemplar as diversidades regionais e acreditando que o trabalho em grupo é sempre mais produtivo, elegemos Wlamyra Albuquerque e Giovana Xavier, respectivamente, coordenadora e vice-coordenadora do GT no biênio 2013-2015.

Biografia: O GT Nacional Emancipações e Pós-Abolição foi criado durante o XXVII Simpósio Nacional da Anpuh (Natal, 2013), aproveitando a oportunidade de termos reunidos tantos pesquisadores do campo nos Simpósios Temáticos “Pós-abolição: racialização, memória e trabalho” e “Da escravidão e da liberdade: processos, biografias e experiências da abolição e do pós-emancipação em perspectiva transnacional”.
O blog Emancipações e Pós-Abolição pretende ser um espaço de divulgação, produção e congregação de pesquisadores, professores, estudantes e demais interessados no campo de estudos.


Representantes das seções regionais

Sul - Noemi Santos (UNICAMP), Ricardo Tadeu Caires Silva (UNESPAR), Julio Cesar da Rosa (SED/SC; SME/Itajaí) e Bruna Letícia de Oliveira dos Santos (UNISINOS)

Centro Oeste - Ana Flávia Magalhães Pinto (UnB), Janira Sodre Miranda (IFG) e Murilo Borges (UFJ)

Sudeste - Lívia Monteiro (UNIFAL), Alessandra Tavares (Seeduc - Rio de Janeiro)

Nordeste - Juliana Souza (UFRN) e Edinélia Souza (UNEB)

Norte - Carolina Christiane de Souza Martins (UFPA), Julio Claudio Silva (UEA) e Karla Raske (Unifesspa)


Comissão de Comunicação

Melina Perussatto (Unisinos), Willian Lucindo (Unicamp) e Juliana Pereira (UFF)


Site: https://emancipacoeseposabolicao.wordpress.com/

Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/GTNacionalEPA

Perfil no Instagram: https://www.instagram.com/gtep_anpuh/


 
 

Informações adicionais

  • E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.