REVISTA NAVIGATOR

Com grata satisfação, a revista Navigator apresenta ao público seu 30º número, que traz o dossiê temático: “Construção, Design e Arquitetura Naval: o navio, o construtor, teoria e práticas”, organizado pelo Prof. Dr. Nuno Saldanha (IADE – Faculdade de Design, Tecnologia e Comunicação – Universidade Europeia/UNIDCOM/CHAM).


Composto por seis artigos, o presente dossiê traz relevantes abordagens e discussões sobre a história da construção naval, tendo por autores pesquisadores brasileiros e portugueses (Augusto António Alves Salgado, Nuno Saldanha, Ludolf Waldmann Júnior, Fernando Ribas de Martini, Amanda Cieslak Kapp, Marcello José Gomes Loureiro e Bruno de Seixas Carvalho) que exploram múltiplas facetas de tão instigante tema, ultrapassando fronteiras geográficas e interconectando culturas e espaços em suas discussões.


Na sequencia ao Dossiê, temos uma variada e interessante Seção ‘Artigos’ - com quatro trabalhos de fluxo contínuo - que é aberto pelo texto de Josué Lopes dos Santos intitulado “As características locacionais da zona portuária da Ilha de Itamaracá (PE) colonial pelo olhar dos cronistas e viajantes” onde o autor discorre a respeito da dinâmica do porto da Ilha de Itamaracá entre os séculos XVI e XVII a partir de relatos de cronistas e viajantes, tendo por mote aspectos relacionados à navegabilidade, questões bélicas e logísticas. Em seguida, no artigo “A queda de Columbo e o deslocamento do eixo português do Índico para o Atlântico, século XVII”, Érica Lôpo de Araújo aborda as disputas em torno possessão portuguesa da cidade de Columbo, na Ilha de Ceilão (atual Sri Lanka), focando os fatores que levaram à sua queda para os holandeses em 1656. O terceiro artigo, da lavra dos pesquisadores portugueses António Costa Canas, Magda Ramires Marabujo e Teresa Sousa, com o nome “O sextante de horizonte artificial de Gago Coutinho: a génese marítima da navegação aérea”, analisa os métodos astronômicos de navegação, adaptados da navegação marítima empregados na primeira travessia aérea do Atântico Sul realizada por Gago Coutinho e Sacadura Cabral no ano de 1922. Por fim, Antonio Modesto dos Santos Júnior discute em seu trabalho “O apoio das Forças Armadas na solidificação do regime varguista (1930-1937)” de que modo concatenaram-se os interesses de Getúlio Vargas com as demandas das Forças Armadas no período correspondente ao Governo Provisório (1930-1934) e ao Governo Constitucional (1934-1937).


Encerrando o 30º número da Navigator, trazemos uma resenha de Daniel Martins Gusmão sobre a obra “De rochedo a arquipélago: a emergência de São Pedro e São Paulo na pesquisa científica brasileira” de autoria do Prof. Dr. Raimundo Arrais.

Informações adicionais

  • Edição: V. 15, Nº 30
  • Instituição: Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha
  • Dossiê: Construção, Design e Arquitetura Naval: o navio, o construtor, teoria e práticas
Mais nesta categoria: « BOLETIM HISTORIAR